domingo, 2 de julho de 2017

FILHOS DO AMOR OU DA PERDIÇÃO!

Vivemos momentos difíceis hoje em nosso País aonde a corrupção chegou há um ponto que muitas vezes nem acreditamos em mais nada e ninguém. No mundo pessoas estão sofrendo em fugas desesperadas de seus países por causa da guerra, da fome, da miséria e da ganância do homem e muitas vezes se lançam ao mar em busca de refúgio em outros países, mas pagam um preço muito alto, pois acabam a deriva no mar, isto quando o barco não afunda e muitos morrem afogados. Quando chegam a outros países são levados aos cantos das cidades onde passam a viver em acampamentos e numa condição sub-humana que muitas vezes lembram os campos de concentração da segunda guerra.

O povo esquece muito fácil das coisas ruins que aconteceram com o ser humano até hoje e se negam a viver em harmonia e a tratar seu semelhante como igual e acham que isto é coisa do destino. Naqueles países da Europa o que mais tem acontecido são pessoas fazendo barbárie em nome de Deus em atentados sem precedentes com assassinatos em série. No Brasil os homicídios somam muitas vezes muito mais mortes do que a guerra da Síria e os tiroteios em policiais e traficantes causam um grande estresse nas populações onde acontece.

Tendo olhos, não vedes? e tendo ouvidos, não ouvis? e não vos lembrais, Marcos – Capítulo 8 verso 18

Todas estas coisas já haviam sido previstas inclusive que chegaria um dia em que o ser humano iria se afastar tanto de Deus que chegaria a negar sua existência. O maior mal desse mundo é o orgulho, a ganância e tudo isto o coração do homem está cheio, mas Jesus não veio ao mundo apenas a passeio, Ele deixou uma grande mensagem de amor para nós a respeito de tudo isto, primeiro renunciou ao mundo e implantou uma semente de amor, se entregou por nós no calvário, e disse que não nos deixaria órfãos e que voltaria para nos buscar. As advertências a respeito da volta de Jesus Cristo são muitas, mas a maioria não está nem ai para isto e preferem o mundo esquecendo que nossa vida verdadeira será na Nova Jerusalém com Jesus.

E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres. Marcos – Capítulo 14 verso 36

As advertências são várias, mas enquanto o homem não resolver deixar de lado o seu orgulho, sua avareza, seu coração endurecido e, a corrupção de nada adiantará ajuntar seus tesouros na terra, pois após baixar ao túmulo tudo ficará para trás e daqui ele só levará sua consciência do bem e do mal que fez na terra. Nossa estadia aqui é muito pequena, como diz a Palavra de Deus, nosso momento aqui é como um piscar de olhos para Deus, pois o tempo de Deus é diferente do nosso e todos serão chamados a prestar contas do que fizemos ou do que deixamos de fazer enquanto aqui estávamos e este é o momento crucial de todo ser humano, se apresentar diante do Tribunal de Deus para dar contas da sua vida.

O julgamento do homem de nada vale, pois muitas vezes é desigual, corporativo e desonesto, mas ninguém ficará impune, pois todos serão chamados por Deus diante do Seu Tribunal e este Tribunal é Justo e Honesto e lá uns serão julgados para honra e outros para desonra. O caminho quem escolhe somos nós, pois Deus jamais interfere em nosso livre-arbítrio, mas lembre-se diante das suas escolhas seu futuro na eternidade estará escrito.

E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas.
Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas.
E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória.
Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima.
Lucas - Capítulo 21 versos 25 a 28



Transcrições Bíblicas – Almeida Corrigida e Revisada Fiel – Bíblia Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MOMENTOS DE ANGUSTIA E AFASTAMENTO DE DEUS

E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram; E eis que no mar se levantou uma tempestade, tão grande que o barco era coberto pe...